Bahia, 14 de Junho de 2024
Por: Divulgação
10/06/2024 - 15:28:12

Projeto é o primeiro da companhia a produzir grafite no Brasil com implantação da mina Boa Sorte, que pode se tornar uma das principais fornecedoras de grafite do país.

A Appian Capital Brazil, empresa gestora da Atlantic Nickel, que produz níquel sulfetado na mina Santa Rita, na cidade de Itagibá, dá um importante passo em sua estratégia de expansão com a implantação de uma operação de grafite, também no sul da Bahia. Inicialmente, a unidade terá capacidade de produção de 5,5 mil toneladas por ano.

Após investimento na Graphcoa, novo ativo do grupo com gama de projetos minerários de grafite no sul da Bahia e no norte de Minas Gerais, o fundo de investimento privado especializado em mineração deu início à construção de uma planta de demonstração para beneficiamento de grafita. Para isso, está aplicando R$ 350 milhões na mina Boa Sorte, localizada no distrito de União Baiana, em Itagimirim - BA.

O investimento na Graphcoa e a construção da planta para produção de concentrado de grafite posicionam o Brasil - que possui aproximadamente 26% das reservas mundiais de grafite – como um ator cada vez mais relevante na transição energética e no desenvolvimento econômico sustentável. Isso porque o grafite desempenha um importante papel na produção das baterias utilizadas nos veículos elétricos, sendo necessário em torno 68 quilos do mineral para cada bateria.

Postos de trabalho

Com a crescente demanda por eletrificação, estima-se um crescimento anual composto no mercado de baterias de grafite de aproximadamente 20% entre 2022 e 2035. Desse modo, a Graphcoa poderá se tornar um dos principais produtores de grafita no Brasil, capaz de fornecer material para a produção de ânodos de grafite, a fim de abastecer a demanda das grandes fabricantes de baterias de veículos elétricos no Brasil e no mundo.

Com esse propósito, a Appian Capital Brazil estima a criação de cerca de 300 postos de trabalho diretos em seu pico de obra da planta de demonstração da Graphcoa. “Este é um marco significativo para o Grupo Appian. Somado aos atuais ativos de cobre e níquel sulfetado do nosso portfólio, este novo mineral crítico ampliará a atuação do Grupo no setor de metais estratégicos”, contextualiza Paulo Castellari, CEO da Appian Capital Brazil.

Além disso, no início deste ano, 71 alunos se formaram nos cursos oferecidos parceria com o Senai Bahia e a Prefeitura de Itagimirim. Os cursos foram voltados para a área de elétrica, montagem de andaimes, carpintaria, encanamento industrial e armação de ferragens.

Aumento de produção

No primeiro trimestre de 2025, o concentrado de grafite será submetido para avaliação da qualidade por clientes estratégicos e o potencial definitivo da escala de produção da planta será identificado antes da construção do empreendimento em seu porte final. Com isso, estima-se que a Graphcoa poderá ter sua capacidade total de produção ampliada de 5,5 mil toneladas anuais para até 25,5 mil toneladas anuais de grafita, com potencial para aumentar a produção por meio de outros projetos do portfólio. Isso dependerá dos estudos de viabilidades que serão finalizados em 2025 para aprovação do investimento.

Veja + Notícias/Geral