Bahia, 28 de Maio de 2020
Por: A Gazeta Bahia
18/05/2020 - 16:30:39

Não existe outra saída para a manutenção dos empregos, tanto no setor privado, como no público, se os prefeitos e governadores não abrirem mãos de suas convicções, e determinarem a abertura gradativa dos comércios, indústrias e serviços, isolando os idosos e doentes. Caso contrário, todos vão perder seus empregos, tanto nas áreas privadas, assim como, no setor público.

Não existe nenhuma comprovação científica, pelo que vimos até o momento, se as pessoas ficarem trancados em suas casas, estarão livres do coronavirus. Os países estão revendo isso. A Itália entrou em fase de flexibilização, na segunda-feira, 11, reabrindo lojas, salões de beleza, bares igrejas e restaurantes.

O isolamento social tem algum valor relativo. Não existe comprovação verdadeira sobre a sua eficácia. Alguém sempre tem que sair, e ao retornar, mesmo que seja assintomático, vai infectar aqueles que estejam em casa.  A máscara tem valor relativo. Em aglomerações é licito usar. Mas, no carro, no campo ou em casa, não é necessário.  Falam que é prejudicial, inalar o gás carbono no exercício de inspirar e expirar, acabando com os pulmões.

Voltando à abertura gradativa do comércio, isso deve ser feito. O governador de São Paulo, João Dória começou a se lamentar, falando na falta de dinheiro. O govenador da Bahia, Rui Costa, está visivelmente nervoso. Já fez alerta, na semana passada, que vai faltar dinheiro nos próximos meses, para pagar a folha dos servidores.

Nesta segunda-feira, 18, a prefeita de Porto Seguro, Cláudia Oliveira, alertou sobre os duros impactos na arrecadação e se afunilando nas contas publicas do município. Afirma que Porto Seguro, primeiro município a fechar suas fronteiras, está sofrendo com crise econômica, e queda na ordem de 66% nas arrecadações.

Porto precisa adotar novas diretrizes, com relação ao Turismo. Liberar as praias, com certas regras, e distanciamento.

Não existe outro meio, para garantir a sobrevivência do comércio, das famílias, dos empregos, das indústrias, e por certo, dos municípios, se não houver movimentações. O #ficaremcasa, serviu de alerta em certo momento da pandemia, mas não serve para livrar o povo da miséria total.     

Todos estão na vertente de perderem seus sustentos, tanto aqueles que trabalham na iniciativa privada, assim como, aqueles que trabalham no setor público. Esperem para ver.

Veja + Notícias/Geral