Bahia, 17 de Fevereiro de 2020
Por: A Gazeta Bahia / informações namida.news
06/02/2020 - 08:36:52

Os velhos caciques dos grupos políticos dos Pinto e dos Oliveira, até a tarde desta quinta-feira, 06, não se pronunciaram sobre a possível aliança, com vista à eleição para prefeito, no pleito de outubro, no município de Porto Seguro, tendo o patriarca Ubaldino Pinto, como candidato da prefeita Cláudia Oliveira, e Maurício Pedrosa como vice.

Conforme conversa na tarde desta quinta, com um dos maiores articuladores do prefeito Robério Oliveira, velho conselheiro, deu para entender que a postagem no site namidia.news sobre este fato, poderá se concretizar.

Este possível entendimento entre os dois grupos, que ao longo da última década têm se digladiado nos bastidores, com enfrentamentos de guerra, pode deixar de existir. Agora, é paz e amor!

Friamente, ainda não debruçamos sobre as causas e efeitos, negativos e positivos para os dois grupos. Isso só o tempo poderá mostrar. O cenário agora, toma outras cores. As armas devem ser recolhidas. Como diz Bolsonaro: este noivado terá muitos desfechos até o casamento real.

 Veja a matéria postada no namidia.news.

"Você já imaginou um palanque com a atual prefeita Cláudia Oliveira, o ex prefeito Ubaldino Junior, o ex prefeito Bahiano, o prefeito de Eunápolis Robério Oliveira, o deputado federal Uldurico Junior e seu pai e Mauricio Pedrosa?

Você deve está pensando, trás a insulina que O Gordo está delirando, mas vou te dizer que não e esse cenário está mais próximo do que você imagina.

Enquanto a maioria da população está preocupada em faturar com o alta temporada, políticos e articuladores dos dois maiores grupos políticos do extremo-sul, trabalham pesado para que essa aliança se concretize.

Segundo informações de dentro dos grupos, no último sábado(01), os dois caciques maiores, Robério Oliveira e Bahiano, pai de Ubaldino,  tiveram uma reunião, na fazenda da família Pinto, em Cabrália, onde detalhes da parceria foi acertada.

Coube a Bahiano convencer o filho Ubaldino e a Robério, a esposa Claudia, de que os dois podem sim aparar as diferenças e quem sabe subir juntos nos palanques nesta eleição.
Como ficaria a chapa?

Para agradar Pintos e Oliveiras, a montagem da chapa seria com Bahiano prefeito e Maurício Pedrosa de vice em Porto Seguro.

A União dos grupos pode expandir para Cabrália, onde o prefeito Agnelo,  poderia ter como vice Cida Pinto.

Em Eunápolis, além de ter tranquilidade com a situação praticamente resolvida em Porto e Cabrália, Robério teria o apoio de Uldurico Junior, deputado federal mais votado da cidade nas eleições 2018.

Outro acerto entre os dois grupos, seria a chapa para 2022, que teria como deputado estadual e federal, Claudia Oliveira e Uldurico Júnior.
Chapa imbatível?

Uma junção desse porte, deixa a eleição definida ou daria espaço para outro candidato tentar vencer?

Uma chapa que pode unir no mesmo palanque adversário de anos, que tiveram seus grupos em linhas tão opostas, podem hoje caminhar de mãos dadas?

Como o eleitor vai receber essa união?

A chapa seria realmente imbatível?

Essa união beneficiária a cidade ou seria apenas a junção para que os dois grupos se perpetuem no poder?

São diversas perguntas que o eleitor vai se fazer e que podem pesar na hora do voto.
União pode ser anunciada após o carnaval

Um articulador e entusiasta da união dos grupos, me confidenciou que o projeto começou a ser colocado em pauta desde que a família Pinto foi para base do governo de Rui Costa, “não justifica os dois grupos caminharem separados correndo o risco de perder a eleição, já que são base do mesmo governo estadual”, arrematou.

Sem condições de ser candidato em 2020, Ubaldino aceitou a proposta e segundo soube, já trocou até alguns telefonemas com Robério para tratar de detalhes.

Não há um consenso entre os grupos sobre quando seria anunciado a união, mas com a rapidez que tem se desenrolado as negociações, há quem acredita que pode ser após o carnaval, outros mais conservadores, acreditam que uma pesquisa deve ser feita para ver como o eleitorado vai receber e se vai ver com bons olhos essa união.

Agora é esperar para ver se os dois grupos vão aceitar “lutar” lado a lado, depois de anos de “tiros, porradas e bombas”.

Veja + Notícias/Geral