Bahia, 21 de Janeiro de 2019
Por: A Gazeta Bahia
03/11/2018 - 09:38:40

Diferente do feriadão do dia 12 de outubro, o feriado prolongado deste fim de semana foi um fiasco para o setor do turismo em Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália e imediações. O empresariado que apostou em um maior fluxo de turistas, saiu perdendo. A taxa de ocupação nos hotéis foi menor que na mesma data, em outros anos. Os proprietários de barracas também se surpreenderam com o pouco movimento. Até parecia um dia da semana qualquer. Coroa Vermelha, termômetro da movimentação na Orla Norte, estava praticamente vazia.  
A choradeira era visível.  Barraqueiros, vendedores ambulantes, também reclamavam da falta de visitantes. O trecho de rodovia entre Porto Seguro e Coroa Vermelha, sempre cheio nos feriados prolongados, estava sem muito movimento. A quantidade de ônibus de turismo era pequena ao longo da rodovia.  Nas imediações da Barraca Barramares, haviam seis ônibus, por volta do meio dia deste sábado.
Uma proprietária de uma das barracas mais tradicionais da Orla, reclamava sobre o sumiço dos visitantes neste feriado prolongado, e colocou a culpa nas provas do Enem.  Já os garçons, que sentiam a falta do turista, culpavam a taxa cobrada pela Prefeitura sobre os ônibus e vans de turismo. Segundo Genival Soares, garçom há mais de dez anos, os pequenos ônibus e vans com turistas desta região e dos municípios vizinhos deixaram de visitar Porto Seguro, depois que o município começou a cobrar as taxas.
A dúvida está prevalecendo. Como o brasileiro está saindo de um momento político, e já se preparando para os gastos do fim de ano, talvez não tenha sido as cobranças das taxas de turismo que tenham influenciado no sumiço dos visitantes, neste feriado prolongado.


Orla Norte sem movimento, em pleno sábado.

 

Veja + Notícias/Geral