Bahia, 13 de Dezembro de 2019
Por: A Gazeta Bahia
10/08/2019 - 08:43:32

Construído no final dos anos 90, pelo Governo do Estado, em área cedida pela então empresa Vera Cruz Florestal, hoje, Veracel Celulose, quando a cidade tinha como prefeito Feruk Abrão, o Distrito Industrial de Eunápolis, seria o marco da industrialização, ponto de superação para o subdesenvolvimento do município, e a conexão para o crescimento da economia.  

Longe de alcançar o objetivo inicial, o Distrito Industrial não teve o mesmo sucesso que os distritos de Jequié, Ilhéus e Vitória da Conquista. Abandonado pelo Governo do Estado, e gerenciado pela ex-Sudic, hoje, desativada, o Distrito vive momentos ruins, e nunca conseguiu  emplacar, devido a vários motivos:  distante da matriz industrial, e sobretudo pelos entraves diversos, a logística difícil, a falta de incentivos por parte dos governos, a falta da qualificação de mão de obra, energia elétrica de péssima qualidade, falta de tratamento de esgoto no local, desinteresse por parte dos políticos. Tudo isso, contribuiu para que este equipamento se transformasse em um grande elefante branco.
Poucas empresas estão instaladas no local. Indústrias mesmo não existem. O abandono é geral em todos os aspectos, desde a entrada, até as quadras finais.  Toda infraestrutura está deteriorada. Não tem gestão, nem suporte técnico. O Estado não tem interesse em conduzir o Distrito. O município também não pode arcar com mais este trambolho. Dessa forma, o que seria um projeto matriz para a colocar Eunápolis, no centro da industrialização da microrregião, terminou se transformando em um grande fiasco, e decepção para a população eunapolitana.

Do ponto de vista estritamente produtivo, o Distrito Industrial de Eunápolis, não produz nada, e deverá ser desativado, caso, as autoridades não tenham determinação.





 

Veja + Notícias/Geral