Bahia, 15 de Dezembro de 2018
Por: A Gazeta Bahia
08/10/2018 - 08:56:01

Os frutos colhidos neste pleito eleitoral em Eunápolis, ficaram podres, pelas mãos dos líderes vaidosos que batem suas cabeças dando voltas em torno de si.
Os grupelhos se atracam em duelos mortais, cravando dentes uns nos outros, soltando venenos como cobras sem rumo, esquecendo que esse embate em nada acrescenta para o fortalecimento de Eunápolis.
Mais uma vez, o município fica órfão de representantes na Assembleia Estadual, a não ser pela reeleição do deputado Jânio Natal, que em nada acrescentará para esta terra.
De uma só tacada, impulsionada pelas mãos dos vaidosos, os grupos se dividiram, cada um brigando por poderio; e terminaram por matarem seus candidatos. A candidata de Robério Oliveira, sua filha não se elegeu. A candidata do ex-prefeito Paulo Dapé, também não conseguiu sucesso. O candidato Jânio Natal, do ex-prefeito Neto Guerrieri, obteve míseros 1.957 votos. Uma decepção.
Até mesmo o candidato a deputado federal a reeleição Ronaldo Carletto, parlamentar com o maior número de emendas para este município, foi jogado de lado, em detrimento de candidatos desconhecidos como Elmar Nascimento, Leur Lomento, Adolfo Viana, Tia Eron, Valmir Assunção, Dayane Pimentel e outros de fora.
Voltando-nos para o prefeito Robério Oliveira, ele deverá reorganizar o seu staff político, observar seu secretariado, cobrar de sua emissora de rádio mais comprometimento, levar o seu Gabinete para o povo, e acima de tudo, unir o seu grupo, buscando aqueles que foram dispensados e descartados.
 No final desse pleito, muitos terão que repensar Eunápolis. O governador Rui Costa não está satisfeito com a sua votação. Por pouco não perdia para o seu oponente. Para presidente, o Haddad perdeu para Jair Bolsonaro. Nesse pequeno relato, observamos que o município não figura bem na tela do governador da Bahia. Isso é muito ruim para o futuro dessa comunidade.

 

Veja + Notícias/Geral