Bahia, 19 de Novembro de 2018
Por: Secretaria Municipal de Saúde de Eunápolis
20/06/2018 - 08:23:53

A Secretaria Municipal de Saúde de Eunápolis informa que a campanha de vacinação contra a gripe H1N1 (Influenza), prorrogada duas vezes pelo Ministério da Saúde (MS), vai ser encerrada nesta quinta-feira, 21 de junho, em todos os postos do SUS da cidade, já que na sexta-feira, dia do jogo da seleção na Copa será ponto facultativo. Mas a vacina continua disponível nos postos mesmo depois da campanha.

A meta de vacinar 90% do público alvo, estabelecida pelo MS, foi atingida no município em praticamente todos os grupos de risco. De acordo com dados da Vigilância em Saúde, 19.496 pessoas já foram vacinadas até a terça-feira, 19 de junho, correspondendo a 92,4% do total global, sem contabilizar os professores e pessoas com duas ou mais doenças crônicas.  

A vacina está disponível para idosos a partir de 60 anos; crianças de 6 meses a menores de 5 anos (faixa que ainda não foi atingida a meta); trabalhadores da saúde; professores das redes pública e privada; gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); presidiários; funcionários do sistema prisional e pessoas com doenças crônicas (como o diabetes).

A superintende de Vigilância em Saúde, Kelly Rebouças, alerta aos pais de crianças de 2 anos acima e menores de 5 anos que ainda não foram vacinadas para procurarem imediatamente o postos de saúde mais próximo. “As crianças nessa faixa etária têm grande risco de contrair a gripe, que pode trazer complicações e até óbito, caso não sejam vacinadas”, adverte Kelly.

Segue em anexo planilhas com os números oficiais da campanha de vacinação em Eunápolis.

Veja + Notícias/Geral
GOVERNO

O presidente eleitor, Jair Bolsonaro diz que soberania e leis do Brasil devem ser respeitadas
Em meio a reações como a do governo cubano que decidiu suspender a parceira com o Programa Mais Médicos, o presidente eleito Jair Bolsonaro voltou a defender hoje (19) a manutenção dos valores e princípios brasileiros. Numa rede social, ele disse que o país vai manter as boas relações [diplomáticas], mas exigirá respeito à sua soberania.