Bahia, 18 de Fevereiro de 2018
Por: A Gazeta Bahia
03/02/2018 - 11:02:15

O cenário político no município de Eunápolis, principalmente no entorno da Prefeitura Municipal, é de aparente calmaria, mais as incertezas ainda rondam todas as vertentes do governo municipal, minado pelas sórdidas desconfianças, e camufladas traições.

Diferente do município de Porto Seguro, onde a calmaria parece-nos predominar, muito embora, vereadores tenham sido citados pela Polícia Federal, e a prefeita afastada Cláudia Oliveira tenha sido flagrada nas portas da PF para prestar esclarecimentos sobre a Operação Gênesis.

O que se observa no caldeirão da política eunapolitana são vários flancos se digladiando, trocando farpas, plantando notas sórdidas uns contra os outros, tendo como exemplo, o grupo do ex-prefeito Paulo Dapé, o grupo de Robério Oliveira, o grupo de Neto e o novo grupo do prefeito Flávio Baiôco. Todos com pensamentos diferentes.

A cidade está minada pelas postagens nas redes sociais, através de fakes, de sites e de pontos de fuxicos. Por outro lado, existe uma Câmara de Vereadores onde três legisladores cobram a imediata cassação do prefeito afastado Robério Oliveira, enfrentando a unidade de treze ou quatorze edis defensores do ex-gestor.

Nessa panela onde se cozinha pensamentos variados, tendenciosos e interesseiros, nascem esse estágio de decadência que predomina no município que não tem identidade alguma, não sabe se é agrícola ou comercial.

Enquanto isso, a mente da sociedade se definha, se torna estagnada, e o olhar que deveria ser aguçado para a prosperidade, também se torna cego.

Veja + Notícias/Geral