Bahia, 14 de Dezembro de 2017
Por: Msn
02/12/2017 - 20:39:52

O mapa abaixo mostra uma situação digna de um realismo fantasticamente miserável. Através dele somos informados de que o número de assassinatos anuais no Brasil é equivalente ao dos países em azul... SOMADOS!

Ou seja, somando-se todos os assassinatos de China (1,3 bilhão de habitantes), Estados Unidos (320 milhões), Indonésia (255 milhões), Rússia (146 milhões), Japão (126 milhões), da Europa Ocidental (397 milhões), etc, chega-se ao número equivalente ao de brasileiros mortos. Lembrando que nosso país tem algo como 210 milhões de habitantes.

Ou seja, o risco de um brasileiro ser assassinato é desproporcionalmente maior do que aquele experimentado pelos cidadãos de todos esses países. Somos, portanto, um país de assassinos e de assassinados.

Quais são as razões dessa tragédia? Como todo fenômeno complexo, há uma série de explicações simplistas e oferta de soluções fáceis.

Para os "progressistas", a causa é a miséria e a desigualdade de renda. Fosse o Brasil um lugar mais justo, a criminalidade cairia. Ocorre que a relação entre pobreza/desigualdade e criminalidade não parece ser assim tão imediata. A tabela abaixo traz os dados para os dez países mais populosos do mundo, entre os quais o Brasil.

Vê-se que, a partir da base de dados utilizada, o Brasil tem renda média inferior apenas àquelas de EUA, Rússia e Japão. Mesmo assim, somos os líderes de assassinatos nessa amostra.

O Paquistão, que tem renda igual a 10% da brasileira, apresenta uma taxa de 7,81, menor que a observada nos estados mais "seguros" do Brasil (como veremos adiante). Mais impressionante ainda é o caso da Indonésia, cuja renda é menor que 50% da brasileira, mas cuja taxa de assassinato fica abaixo de um para cada 100 mil habitantes.

A desigualdade parece ser uma variável mais promissora, já que o Brasil apresenta o pior índice de Gini de nossa amostra, mas mesmo países mais pobres e também muito desiguais – como a Nigéria – apresentam taxas muito inferiores à média brasileira.

O gráfico abaixo mostra a relação entre renda per capita e taxa de assassinatos para os países sul-americanos.

Veja + Notícias/Geral