Bahia, 23 de Novembro de 2017
Por: Jackson Domiciano
17/08/2017 - 08:45:33

Caminhando a passos lentos, desanimados e sem perspectivas quanto às melhorias nas vendas e aquecimento nos demais negócios, e segmentos diversos, o empresariado eunapolitano está pedindo socorro.
Não sabemos ao certo, qual o impacto que essa calmaria está provocando. O Sindicato do Comércio não se manifesta e nem apresenta números sobre a real situação. O Sindicato dos Empregados no Comércio não divulga dados sobre as demissões este ano no comércio regional.
O presidente do Sindicato do Comércio, Erivelto Ribeiro disse que a situação é decorrente da economia nacional. “Está ficando cada vez pior, quem está na ponta, é quem paga o preço, cabe ao sindicato olhar as convenções e outras questões, e ao CDL cabe a motivação. O município de Eunápolis só tem duas entidades que sustenta a empregabilidade, estamos todos no mesmo barco, e a economia só deverá melhorar nos anos 2019 a 2020”, explicou Erivelto.


A CDL reclama da falta de recursos para fazer grandes campanhas. Por outro lado, essas entidades que sobrevivem das mensalidades pagas pelos lojistas estão passando maus momentos.
A relação entre essas entidades com a imprensa é muito ruim.
O comércio nunca amargou uma crise desse tamanho. Na semana que antecedeu ao Dia dos Pais, as vendas foram frustrantes. A pior da história. O que observa, quem anda pelas ruas mais movimentadas da cidade, são lojas sem a presença do consumidor.
O governo federal anuncia contingencias, corta investimentos, e se diz quebrado. O governo estadual se acautela e sobrevive às duras penas, com poucas expectativas de maiores investimentos para o município de Eunápolis. O governo municipal, faz o que pode para equilibrar as contas, toca obras, faz ajustes, paga a folha em dia. Mas o desemprego é muito grande, fruto da fracassada política econômica do governo central.
Enquanto a calmaria que toma conta de Eunápolis, provoca desânimos ao empresariado, as entidades se retraem. É preciso repensar sobre o agora e o futuro. Um polo de desenvolvimento como Eunápolis, precisa encontrar caminhos novos no campo desenvolvimentista.

Comércio está cada dia mais enfraquecido, decorrente da crise nacional.

Veja + Notícias/Geral